O suplemento que você toma pode ser inútil. Saiba por que o seu corpo não precisa dele.

março 17, 2015
admin
CompartilheShare on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Email this to someoneShare on LinkedIn0Pin on Pinterest1Print this page
Suplementos

Os suplementos vitamínicos muitas vezes são associados às pessoas que praticam exercício físico e optam por viver uma vida mais saudável. Deste modo, podemos pensar que não há mal nenhum em complementar a alimentação com vitaminas. Seguindo esta lógica, quanto mais vitaminas no organismo, melhor. Certo? Errado.

Inúmeras pesquisas científicas comprovam que, pelo contrário, o excesso de suplementos vendidos em farmácias pode até ser prejudicais ou, na melhor das hipóteses, ser totalmente descartados através da urina.

O termo “inútil”, de acordo com o doutorando em biotecnologia Tiago dos Santos Rosa, surgiu em um artigo do biomédico Gomez-Cabrera ao discutir o papel dos antioxidantes no corpo humano.

Mas não foi a primeira vez que o assunto foi abordado desta forma. Ivan M. Sharman, em 1971, demonstrou que a suplementação de vitaminas E causou efeitos desfavoráveis no desempenho em nadadores jovens. Em outra pesquisa feita em 2002, Trevor Marshall mostrou que a suplementação de vitamina C (1000mg/dia por quatro semanas) em cães de corrida piorou significativamente a sua velocidade.

Um pouco de stress faz bem

Para o nutricionista Danilo Balu, uma explicação possível é que os benefícios do exercício físico podem estar atrelados à capacidade do corpo de aprender a lidar com os radicais livres. “Ou seja, ter radicais livres seria essencial para que o corpo se adapte a eles. Quando você artificialmente combate esse estresse fisiológico usando uma suplementação, você pode tirar essa necessidade do corpo de ter que se adaptar”, sugere.

A teoria é reforçada através da publicação “Fruits and vegetables are trying to kill you” do cientista Moises Velasquez-Manoff. Segundo ela, os oxidantes podem ser um mensageiro primordial de estresse em nossas células. E um pouco de stress pode ser bom para nós.

Quando cientistas bloquearam a capacidade dos roedores de fabricar estas moléculas protetoras, houve uma diminuição no tempo de vida. Entretanto, outros estudos sugeriram que as pessoas que comiam regularmente frutas e legumes eram mais saudáveis. Assim como eram as pessoas com níveis mais elevados de vitaminas E e C no sangue.

Alimentação: a chave de tudo

Com poucas exceções – pessoas que não consomem proteína animal – todas as vitaminas podem ser encontradas em uma alimentação balanceada. Frutas e vegetais são realmente saudáveis, mas não necessariamente pelo seu papel “protetor” do estresse oxidativo. Na verdade, a explicação do por que fazem bem pode ser bem mais simples: eles são benéficos porque salientam você.

Tiago dos Santos Rosa aponta ainda que os alimentos ricos em antioxidantes possuem outras substâncias em sua composição, que podem agir de forma sinérgica, permitindo melhor efeito para saúde do que os suplementos. “Uma variedade de frutas e vegetais continua a ser a melhor abordagem nutricional para manter o status antioxidante ideal, inclusive ao longo de um período de treinamento”, relata.

E ainda faz um alerta: “Cuidado com as propagandas que prometem resultados ótimos com a suplementação de antioxidantes, o resultado pode ser pior do que inútil”.

Fonte : WebRun

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>